Pássaro já voou percurso maior que distância entre a Terra e a Lua

Maio 29, 2012

Um pássaro que já viveu o equivalente a 100 anos humanos e voou uma distância superior àquela entre a Terra e a Lua tem fascinado cientistas em várias partes do mundo e já inspirou uma peça de teatro, um conto literário e tem até a sua própria biografia. O B95, um maçarico-do-papo-vermelho (Calidris canutos), viaja todos os anos entre o Árctico canadiano e a Terra do Fogo, na Argentina, e superou de forma significativa a expectativa de vida para a espécie, que vem sofrendo um declínio devido ao excesso de pesca nos ecossistemas do qual depende. «Não conseguimos acreditar que ele ainda está vivo, porque é uma ave em liberdade que já enfrentou muitas situações terríveis e drásticas. Por isso, também, é especial e todos querem ver o B95», disse à BBC Mundo a bióloga Patricia González, que integrou a equipa que fez o anilhamento da ave em 1995, na Argentina, procedimento que permite a sua identificação. «A população de maçaricos-do-papo-vermelho (também conhecidos como seixoeiras) tem sofrido um declínio tão grande, que acreditamos ser difícil que vivam mais de sete anos», disse, lembrando que o B95 já tem pelo menos 18 anos, o equivalente a 100 anos de idade num ser humano. A ave acabou por se transformar num símbolo das ameaças crescentes enfrentadas pelas aves migratórias. Um sistema internacional acordado entre todos os países das Américas permite que cientistas monitorizem as aves anilhadas através do uso de telescópios nas praias ou do registo de imagens com câmaras digitais. A presença do B95 foi notada muitas vezes nos últimos anos ao longo da rota migratória. Os cientistas calculam que ele percorra 30 mil quilómetros por ano, o que multiplicado por 18 anos chegaria a 540 mil quilómetros, distância superior a que separa a Terra da Lua (384,403 km). «A última vez que o vimos foi em Dezembro passado, na Terra do Fogo», disse González. Os maçaricos-do-papo-vermelho chegam ao Árctico em Junho para a reprodução. Adultos e jovens partem novamente por volta de 15 de Julho. Nem todas as aves seguem a mesma rota, mas costumam chegar à Terra do Fogo no fim de Outubro ou início de Novembro, onde permanecem, em geral, até meados de Fevereiro.

in Diário Digital

Anúncios

Carruagens improvisadas circulam nas linhas de caminho de ferro em Manila

Maio 9, 2012

Ilegalmente  carruagens improvisadas transportam pessoas ao longo da linha férrea nas  Filipinas. Este meio de transporte é muito popular entre os viajantes porque não têm horários definidos e podem  parar e reiniciar a marcha sempre que desejam. Governo proibiu esta prática mas continua em funcionamento há 17 anos.

[youtube.com/watch?v=LhUVV5PZZ3s]

Reportagem SIC 


Desenhos hiper-realistas (fotografias ou desenhos?)

Maio 1, 2012

Os desenhos hiper-realistas do escocês Paul Cadden puseram-no no centro das atenções no mundo da arte. Afinal nem tudo que parece é. Um retrato de uma senhora idosa, onde nenhuma ruga ou cabelo branco são esquecidos, ou uma imagem de dois jovens na rua, sem descurar nenhum detalhe das lojas à roupa dos rapazes, são apenas dois dos trabalhos que expostos na galeria Plus One, em Londres, onde podem ser comprados por, no mínimo, cinco mil libras (cerca de seis mil euros). A atenção aos pormenores faz a diferença no trabalho de Paul Cadden, de 47 anos, que começou a desenhar quando tinha apenas seis. Hoje, o seu traço é único, confundindo-o com fotógrafos e não com desenhadores. A prática artística, conhecida por hiper-realismo, que tem como objectivo reproduzir fotografias apenas com recurso a um lápis e sem qualquer equipamento, não é nova mas a incrível semelhança entre os desenhos do escocês e a realidade é notável e como pouco se viu. …

in Público

Alguns trabalhos de Paul Cadden podem ser vistos aqui

[youtube.com/watch?v=JLtAQE9vbDc]

Reportagem SIC sobre os desenhos hiper-realistas de Paul Cadden


Ninho de falcões numa floreira de um apartamento em Lisboa

Abril 27, 2012

[youtube.com/watch?v=HqncRSw3vjI]

“Ninho de falcões na janela”, reportagem SIC sobre um casal de falcões que decidiu tornar uma floreira de um segundo andar de um apartamento no seu ninho.

Ninho em direto aqui


Multibanco faz hoje 25 anos

Setembro 2, 2010

O Multibanco faz hoje 25 anos. A primeira experiência aconteceu precisamente a 2 de Setembro de 1985 no Rossio, em Lisboa, numa dependência do BNU (Banco Nacional Ultramarino) ainda com as notas de escudo. No começo eram 52 caixas de multibanco no país, hoje serão mais de 14 mil caixas automáticas e mais de 200 mil terminais de pagamento. De acordo com a SIBS, empresa que promove a cooperação interbancária, há mais de 19 milhões de cartões, uma média de 2 por cada cidadão registado em Portugal. O Multibanco disponibiliza mais de 60 serviços, desde o levantamento de dinheiro a pagamentos de serviços, carregamentos de telemóvel, transferências, consultas, compras, entre outras. Ainda de acordo com jornal Económico, o Multibanco chegou a Portugal mais tarde do que a outros países, mas atualmente está entre os sistemas mais desenvolvidos do mundo.

25 Anos do Multibanco – Reportagem TVI


“Monte Benfica” na Malveira

Maio 27, 2010

Adeptos do Benfica pintaram o símbolo do clube na Serra do Cabeço na Malveira. São 83 metros de altura por 80 metros de largura. Um trabalho árduo que juntou cerca de 20 pessoas, que numa serra sem qualquer acesso rodoviário, subiram vezes a fio, durante quatro dias e meio, com sacas de cal e pó de tijolo às costas, para tornar o projecto do sr. Zeferino realidade. Tudo para dar a conhecer ao Mundo a paixão benfiquista que existe naquela vila. E tudo isto feito à moda antiga… com enxadas a cortar a vasta vegetação da serra. Uma serra já baptizada de “Monte Benfica”.

“Monte Benfica” na Malveira – Reportagem TVI


Condenado à morte diz que é alérgico à injecção letal

Abril 16, 2010

A condenação de Darryl Durr está suspensa por causa de uma suposta alergia a uma das substâncias da injecção letal. Por isso, a advogada do queixoso teme que a execução seja demasiado longa, a ponto de ser tornar ilegal. A execução de Darryl Durr, prevista para a próxima terça-feira no estado do Ohio, foi suspensa provisoriamente por causa de uma alergia a uma das substâncias contida na injecção letal. Enquanto os médicos verificam se é verdade, Kathleen McGarry, advogada do queixoso, afirma que “a lei estabelece que qualquer execução deve ser rápida e indolor”. Caso se confirme a alergia, desconhece-se que tipo de reacção o organismo poderá ter, daí a cautela de Gregory Frost, o juiz que suspendeu o processo. “Se o corpo do sr. Darryl tiver uma reacção violenta às drogas que lhe injectarem – vómitos, complicações respiratórias, etc, – fica claro que esta execução tem um problema”, explica McGarry. O Ohio foi o segundo estado americano (depois de Washington) a estipular que as condenações à morte sejam levadas a cabo apenas com uma injecção letal, em vez das três convencionais – neste último caso a primeira induz o condenado num estado de coma, a segunda paralisa o diafragma e os pulmões e a terceira pára o coração. O objectivo desta medida foi reduzir o tempo e as complicações das execuções, visto que algumas resultam em verdadeiras sessões de tortura, que se prolongam por horas. Em Outubro passado, dois desses condenados sobreviveram para contar ao Expresso a sua experiência. O problema de Darryl Durr com a injecção única é que ela contém uma anestesia, à qual ele alega ser alérgico.Os resultados das análises serão conhecidos em breve.       

 in Expresso