##### Imagens…

Janeiro 31, 2009

Sapato gigante em homenagem ao jornalista iraquiano que tentou acertar em Bush


Kaiser Chiefs em Portugal

Janeiro 31, 2009

Kaiser Chiefs

Os britânicos Kaiser Chiefs vêm a Portugal apresentar o novo álbum, “Off With Their Heads”, em dois concertos nos Coliseus do Porto e Lisboa, dias 31 de Janeiro e 1 de Fevereiro, respectivamente. Ricky Wilson, Andrew “Whitey” White, Simon Rix, Nick “Peanut” Baines e Nick Hodgson, são um daqueles raros casos de sucesso imediato ao primeiro álbum, “Employment”. Cinco rapazes de Leeds espantaram meio mundo em 2004 graças a singles como “Oh My Good” (que foi alvo de uma versão de Lilly Allen), “I Predict a Riot” e “Everyday I Love You Less and Less”. Dois anos mais tarde, e para evitarem o risco de repetição, os Kaiser Chiefs inspiraram-se nos Led Zeppelin e no rock americano para editarem o segundo longa-duração, “Yours Truly, Angry Mob”, que alcançou a categoria de Platina no Reino Unido. Entretanto, está já à venda o aguardado terceiro disco da banda, “Off With Their Heads”.

Site: Kaiser Chiefs

Site MySpace: Kaiser Chiefs

kaiser Vhiefs - Off With Their Heads

Kaiser Chiefs – Ruby (Live in Doncaster)


“Borda d` Água” faz 80 anos

Janeiro 31, 2009

Borda d´Água 2009

O almanaque mais conhecido em Portugal faz 80 anos e continua a ser um sucesso. O “Borda d´ Água”, com as previsões para este ano, já vendeu mais de 330 mil exemplares. Há 80 anos, o número um do “Borda d’ Água” vendeu 40 mil exemplares. Com um “reportório útil a toda a gente”, assim se promete na capa, o “Borda d’ Água” reúne previsões do tempo e dos astros, indica os melhores dias para plantar ou colher, ensina mezinhas e lembra datas importantes. O livrinho de 2007 previa tempo seco e quente, o de 2008 falava em chuvas torrenciais no Outono e em 2009, contra todos pessimismos, o almanaque até desenha um ano bom. O truque está em juntar os dados do Observatório Astronómico de Lisboa à sabedoria popular e o e o resultado agrada a todas a gerações. O almanaque de aspecto simples e com as páginas por cortar sobrevive à internet, ao modernismo, à tecnologia. Nunca se vendeu tanto e continua sempre o mesmo. Há dois anos chegaram ao mercado algumas falsificações. Alguns dos exemplares vendidos na rua são apenas fotocópias. Para reconhecer um original basta olhar para a capa, o verdadeiro almanaque do velho da cartola é impresso em papel reciclado e tem uma ferradura vermelha na primeira página.

SIC

Blog: Borda D’ Água – Almanaque

“Borda d` Água” faz 80 anosReportagem SIC



Cartoon…

Janeiro 31, 2009

Quando a suspeição bate à freeporta

Quando a suspeição bate à freeporta

Cartoon do Ricardo (Expresso)


The Stranglers em Portugal

Janeiro 30, 2009

The Strangles

The Stranglers em Lisboa para apresentar todas as canções que o público deseja ouvir, com a sua digressão “Hits Tour”. Quem não conhece os The Stranglers? Se não conhece, infelizmente desconhece grande parte da história do rock inglês dos anos 70 e 80. Jean-Jacques Burnel, baixista da veterana banda britânica, é considerado por muitos um dos músicos mais criativos da sua geração. Em 1976, a banda conquistou grande parte do seu público fazendo as primeiras partes dos Ramones e Patti Smith. No início, os The Stranglers foram extremamente conotados com o movimento punk, embora o som se diferenciasse bastante dos restantes, pelo som peculiar devido ao uso de sintetizadores e saxofone. Para promover o seu último álbum, “Fortytwoforty”, a banda deu início a uma grandiosa tournée – The Stranglers – Hits Tour. Hoje, 30 de Janeiro, na Aula Magna, em Lisboa, será possível recordar temas como “Strange Little Girl”, “Golden Brown”, “Get a Grip On Yourself” e “Always The Sun”. Amanhã sábado actuarão no Cine-Teatro Batalha, no Porto.

Site: The Stranglers

Site MySpace: The Stranglers

The Stranglers-Fortytwoforty

The Stranglers – Golden Brown


Homem morreu, ressuscitou e voltou a morrer!

Janeiro 30, 2009

Caixa Geral de Aposentações

Um funcionário público de Coimbra queixa-se de continuar “morto” dois meses após “ressuscitar” na Caixa Geral de Aposentações (CGA), organismo onde foi exigir o pagamento dos custos adicionais para o subsídio do funeral da mãe.«Qual não é o meu espanto quando, segunda-feira, na Loja do Cidadão de Coimbra, peço uma certidão de nascimento e quem me atende diz que estou como falecido», declarou à Lusa Nelson de Jesus Cabral. É a segunda vez em dois meses que Nelson Cabral é confrontado com o anúncio da sua “morte”. «Só me passaram a certidão porque me conheciam e depois de falarem com a chefe-coordenadora. Se fosse noutra repartição não me passavam o documento», afirma. Nelson Cabral, morador em Coselhas, Coimbra, e auxiliar de acção médica no Hospital dos Covões, queixa-se de que é a terceira vez que a Caixa Geral de Aposentações lhe pede uma declaração de nascimento e cópias do Bilhete de Identidade e do Número de Contribuinte, no âmbito do processo de pedido de subsídio de funeral da mãe, falecida há seis meses. Contactada pela Lusa, a Caixa Geral de Aposentações afirma que «sem prejuízo de qualquer eventual extravio de documentos a que a CGA é alheia (…), aguarda que o interessado remeta à CGA» os documentos solicitados. Quanto ao facto de o visado continuar dado como “falecido”, remete explicações para o Ministério da Justiça. «Desta vez, vou pessoalmente a Lisboa entregar os documentos à CGA e levo os recibos das certidões da nascimento que tive de pedir a mais e do bilhete do comboio, para que me paguem», afirma, sublinhando que as declarações já enviadas foram em correio registado. Em Novembro, Nelson Cabral recebeu uma carta da CGA, dirigida à sua família, onde se lia que, «por falecimento do subscritor acima identificado, pode haver lugar à concessão de pensão de sobrevivência». «Considerando que o falecido não se encontrava aposentado, a atribuição do subsídio por morte ou (…) o reembolso das despesas de funeral é da responsabilidade do serviço que lhe processava o vencimento», acrescentava a missiva. Dias depois, e após o caso ter sido noticiado no Diário de Coimbra, Nelson Cabral recebe um «pedido de desculpas» da CGA, que se justifica com «um lapso de procedimento» que levou ao «registo como certidão de óbito a certidão de nascimento enviada à Caixa, dando conta do averbamento do seu casamento». «Estou casado há 28 anos, continuo vivo e à espera que me paguem o subsídio do funeral da minha mãe», declarou.

Diário de Coimbra

Caixa Geral de Aposentações comunica morte de homem que está vivoReportagem RTP


Banda Sinfónica do Exército e Corvos no Centro Cultural Olga Cadaval

Janeiro 30, 2009

Banda Sinfónica do Exército e Corvos

Depois do cancelamento do espectáculo de dia 10 de Outubro, eis que a Banda Sinfónica do Exército e os Corvos regressam a Sintra para dois espectáculos memoráveis retribuindo assim o carinho e a compreensão que o público, em geral, e os fãs, em particular, manifestaram em Outubro. Herdeira das mais antigas tradições musicais do Exército Português é instituída em 1988 por despacho do Chefe do Estado Maior do Exército, General Firmino Miguel, a Banda Sinfónica do Exército. Banda representativa do Exército, compreende instrumentistas de corda, de sopro e percussão com um Quadro Orgânico fixado em 105 elementos, sendo conduzida pelo maestro Capitão CBMus Manuel Joaquim Ferreira da Costa. Depois de uma participação intensa nas cerimónias militares ou de protocolo de Estado, a Banda Sinfónica do Exército actua em desfiles militares, representa o Exército em Festivais Militares – no país e no estrangeiro, exibindo-se isolada ou em conjunto com outras bandas congéneres. É neste sentido que a Banda Sinfónica do Exército se junta à banda Corvos, banda incomum do panorama da música portuguesa, que alia o virtuosismo instrumental dos seus elementos e a excelência das composições, arranjos e interpretações intemporais, para em conjunto comemorar o Dia do Exército e os 20 Anos do Regimento de Artilharia Antiaérea Nº1. Dias 30 e 31 de Janeiro ás 22h00 no Auditório Jorge Sampaio, Centro Cultural Olga Cadaval em Sintra.