A Apple apresentou o iPhone 4

Junho 8, 2010

Durante duas horas, a Apple apresentou a nova estrela da empresa: o iPhone 4. A Apple acabou de apresentar em S. Francisco, EUA, o novo iPhone 4. Apesar dos muitos rumores sobre potenciais novos produtos, a empresa limitou-se a falar do novo smartphone e do novo sistema operativo, o iPhone OS 4, que se chama, a partir de agora, iOS 4. O novo iPhone não traz grande novidades relativamente àquilo que já se sabia. O design é o mesmo do protótipo que apareceu em vários sites da Internet. O ecrã de 3,5″ IPS (Steve frisou que não é OLED, mas é melhor) possui uma resolução de 960×640 pixéis e 326 pontos por polegada de resolução. Segundo a Apple, isto é mais do que suficiente para, aos nossos olhos, ter uma qualidade semelhante à impressão. Tal como também já se sabia, o processador A4, o mesmo usado no iPAd, está no coração do novo iPhone 4, que inclui, também, Wi-Fi 802,11n, câmara de 5 MP com flash LED, um giroscópio e um máximo de 32 GB de armazenamento. A autonomia foi aumentada para as 40 horas a ler música, 300 horas em standby e 10 horas a ver vídeo. O giroscópio é um claro piscar de olhos ao mercado dos jogos, visto que permite um melhor controlo do aparelho. Segundo Steve Jobs, uma das grandes novidades é a câmara de 5 MP com sensor iluminado, o que permite um melhor desempenho com pouca luz. Por outro lado, é também possível gravar vídeo HD 720p a 30 fps. Para acompanhar as capacidades do novo iPhone, a Apple criou a aplicação iMovie for Phone, para editar vídeos directamente no telemóvel. Vai custar 4,99 dólares. No campo do software, a maior novidade terá sido o facto de o sistema operativo deixar de se chamar iPhone OS par passar a designar-se iOS. Isto parece dar força aos rumores que dizem que a próxima Apple TV terá o mesmo sistema operativo do iPhone. Outra novidade é a inclusão do Bing como motor de busca, e os utilizadores são livres de o escolher em detrimento do Google ou do Yahoo!. Outra novidade do novo iOS 4 é a possibilidade de fazer videoconferência no iPhone 4, através do que a Apple chama de FaceTime. Para já, funciona só sobre Wi-Fi, mas a Apple irá trabalhar com os provedores de telecomunicações para tentar trazer a funcionalidade para a rede 3G. Quanto a preços, 199 dólares para a versão de 16 GB e 299 dólares para o modelo de 32 GB, com contrato. Estará à venda a partir do dia 24 de Junho nos EUA e países como França, Alemanha, Reino Unido e Japão. Como última nota, diga-se que o novo sistema operativo iOS 4 estará disponível gratuitamente a partir do dia 21 de Junho para o iPhone 3G e 3GS. Todavia, existem funcionalidades que não estarão disponíveis no modelo 3G, como é o caso do multitasking.

in Exame Informática

Apple apresenta o iPhone 4 – Reportagem SIC e TVI

Anúncios

TMN fez uma demonstração da Quarta Geração de Telemóveis (4G ou LTE)

Março 30, 2010

A TMN pretende arrancar, em breve, com um teste da Quarta Geração de Telemóveis (4G, ou LTE) que vai permitir chegar aos 100 Mbps. O lançamento comercial deverá ocorrer entre 2011 e 2012. A TMN reclama o pioneirismo das comunicações com o protocolo LTE (Long Term Evolution) em Portugal, depois de demonstrar hoje um serviço que permite descarregar, em simultâneo, quatro vídeos (podiam ser mais…) de Alta Definição para um computador pessoal. A demonstração para jornalistas deu ainda a conhecer a compatibilidade com as actuais redes móveis, através de uma chamada telefónica de um terminal experimental que opera em LTE para um telemóvel compatível com GSM e 3G. Quando estrear, a LTE deverá permitir velocidades de download de 100 Mbps (upload a 50 Mbps). Segundo os responsáveis da TMN, a largura de banda permitida pela LTE deverá passar, numa segunda fase, para os 300 Mbps e, a um prazo mais longo, para 1 Gbps (com a LTE Advanced). Com uma latência média de 20 milissegundos, as redes LTE prometem tornar-se uma alternativa a ter em conta para o segmento dos videojogos. Os responsáveis da TMN não forneceram detalhes sobre os futuros tarifários dos primeiros serviços da LTE, mas admitiram que as primeiras placas de acesso para computadores cheguem ao mercado com preços similares aos praticados no 3G.

in Exame Informática

TMN mostra tecnologia 4G – Reportagem @ RTP


Apple lança o iPad

Janeiro 28, 2010

iPad

Depois de meses de rumores, a Apple confirmou a existência do iPad, um tablet multimédia de 9,7″. O novo produto da Apple parece um iPod Touch gigante, e o sistema operativo é bastante semelhante ao iPhone OS. Existem diferenças, como o uso intenso de menus de contexto, mas a Apple não fez quaisquer declarações sobre se o iPhone/iPod Touch irão receber estas funcionalidades. No campo do hardware, o iPad inclui um generoso ecrã de 9,7″, entre 16 GB e 64 GB de memória flash e um processador próprio da empresa, o Apple A4 a 1 GHz. Quanto a comunicações, o iPad inclui Wi-Fi 802.11n, Bluetooth 2.1 + EDR e alguns modelos terão 3G. Tudo isto num chassis com 12 mm de espessura e 680 gramas de peso. No que à autonomia diz respeito, o iPad vai durar dez horas a reproduzir vídeo ou até um mês em standby. Os modelos 3G irão ser vendidos nos EUA com dois planos de dados: 250 MB de tráfego mensal por 14,99 dólares (cerca de 10 euros), ou tráfego ilimitado por 29,99 dólares (cerca de 21 euros). A Apple diz que, lá para Junho, serão anunciados os acordos internacionais. De qualquer forma, o iPad 3G é desbloqueado, pelo que podemos usar qualquer rede. Todavia, é necessário usar um cartão microSIM. Tal como se falava, a Apple apresentou também a sua aplicação para livros digitais, o iBook, que funciona em conjunto com a iBook Store.Por falar em aplicações, os programas já disponíveis para iPhone e iPod Touch funcionam no iPad. Essas aplicações aparecem centradas no ecrã do aparelho, mas é possível maximizá-las para tirar o máximo partido do ecrã. Se os programadores quiserem tirar partido das funcionalidades do novo aparelho, podem usar o SDK que a Apple está a lançar hoje. No campo dos acessórios, a empresa irá lançar uma docking station com suporte para teclado físico. Quanto a ausências, o Flash continua a não ser suportado. Também não houve qualquer menção relativamente à multitarefa, mas esta não deverá estar disponível, a julgar pela forma como as várias aplicações foram iniciadas: sair de uma antes de iniciar a outra. Quanto a preços, os modelos com Wi-Fi irão custar 499 dólares (16 GB; cerca de 355 euros), 599 dólares (32 GB; cerca de 420 euros) e 699 dólares (64 GB; cerca de 500 euros). As versões com 3G são 130 dólares (cerca de 90 euros) mais caras.  A versão com Wi-Fi do iPad deverá começar a ser vendido dentro de 60 dias, enquanto que a versão 3G estará no mercado dentro de três meses.

in Exame Informática

Steve Jobs / iPad

Apple apresenta o iPad – Reportagem @ RTP, SIC e TVI


Jovem americano conseguiu desbloquear a Playstation 3

Janeiro 27, 2010

George HotzAs consolas da Sony podem agora ser manipuladas de forma a correr jogos piratas. A façanha é de George Hotz, que já tinha desbloqueado o iPhone da Apple. O hack demorou apenas cinco semanas. A Playstation 3 de George Hotz, de 20 anos, consegue agora correr jogos copiados ilegalmente e até títulos da PS2. O pirata diz que consegue fazer o que quiser com a consola, sente que tem um grande poder, mas que não sabe como o usar, noticia a BBC. Apesar do feito, Hotz diz que o sistema da PS3 é bastante seguro e que, para a desbloquear, utilizou 5% de hardware e 95% de software. Os utilizadores podem esperar que o pirata publique as falhas que detectar na consola, tal como fez com o iPhone da Apple. O mais irónico é que Hotz nunca jogou PS3 e tem apenas um jogo. A Sony diz que vai investigar este assunto.

in Exame Informática


Google Latitude

Fevereiro 7, 2009

Google Latitude

George Orwell tinha razão. A omnipresença do Grande Irmão (Big Brother), tal como é descrita no livro “1984”, acaba de ser tornada realidade pelo Google. Basta instalar no seu telemóvel o Latitude, a nova aplicação está disponível desde a passada quarta-feira e permite saber em tempo real onde estão os seus amigos. Como funciona? É o que vamos ver. Antes de mais, perante a ameaça do Grande Irmão, o Google começa por esclarecer que o utilizador tem controlo absoluto sobre a aplicação, podendo activa-la, ou não, em qualquer altura, impedindo assim os outros de saber onde se encontra. Dito de outra forma, só é possível saber a localização de uma pessoa se esta tiver autorizado previamente. Acresce que, para já, o Latitude não permite saber a localização exacta, informando antes a zona ou para que direcção se desloca essa pessoa. O suficiente, portanto, para convidar para almoçar aquele amigo que está a dois passos e que não víamos há tanto tempo. Depois de efectuar o download e instalar a última versão do GoogleMaps para plataformas móveis terá de enviar convites aos contactos que constam da sua agenda. Para poder saber por onde andam, estes terão de aceitar previamente, como já vimos. Segundo o Google, o programa guarda apenas a última localização, apagando o rasto de qualquer contacto a partir do momento em que o Latitude é desactivado. O serviço prestado pelo Google é gratuito, mas pode estar sujeito a tarifas por parte do operador. Em conclusão, no futuro, é bem provável que a pergunta “Onde estás?”, tão comum sempre que comunicamos por telemóvel, dê lugar a uma outra bem mais contundente: “O que estás aí a fazer?”

Expresso

Site: Google Latitude


Vírus informático Conficker já infectou 10 milhões de computadores

Janeiro 20, 2009

Conficker/Downadup

Um vírus informático que infecta discos rígidos externos e pastas partilhadas já atingiu desde Novembro cerca de 10 milhões de computadores em todo o mundo, sendo considerado no meio informático como um dos mais virulentos até hoje. O Conficker, ou Downadup, está a originar alertas dos observatórios de segurança digital em todo o mundo, porque nenhum vírus informático conseguiu infectar tantos computadores nos últimos quatro anos. Até agora, o Conficker, a circular desde Novembro, conseguiu afectar cerca de 10 milhões de computadores, uma virulência que não se verificava desde os tempos do vírus Sasser ou Bluster (Blaster), em 2005. O Conficker propaga-se através de três vias, a mais problemática e mais difícil de controlar das quais é através das memórias externas USB, como as que se utilizam nos telemóveis, iPods e MP3, por exemplo. Enquanto o computador detecta que se ligou ao computador um dispositivo externo, o vírus salta directamente para o mecanismo, de forma que infecta o equipamento seguinte a que ele for ligado. Outra das vias de contágio do vírus é através de uma falha na segurança do Windows, que o Conficker aproveita para se colar aos computadores e inutilizar certas funcionalidades da máquina. Num primeiro momento o utilizador pode apenas notar uma certa lentidão no seu PC, mas o seu computador converte-se num foco de infecção. Para fazer face a esta falha de segurança, a Microsoft publicou em Outubro de 2008 uma forma de a corrigir que é possível instalar automaticamente através da Internet. A terceira via de infecção do Conficker é através dos arquivos partilhados em rede pelas empresas. O vírus detecta estes arquivos comuns a vários departamentos instala-se neles e infecta quem a eles aceder. Para evitar esta forma de propagação basta ter um poderoso antivírus actualizado.

aeiou Lusa