Cartoon…

Março 31, 2010

Cartoon by Henrique Monteiro (in SAPO Notícias)


Música do Anúncio Sony Bravia (Sony Internet TV)

Março 31, 2010

A Música do Anúncio Sony Bravia (Sony Internet TV) é o tema “Thunderstruck” dos AC/DC.

Site: AC/DC

AC/DC - The Razors Edge

Grupo: AC/DC

Álbum: The Razors Edge (1990)

Tema: Thunderstruck


No quiosque…

Março 31, 2010


Vinho de ossos de tigres em extinção apreendido na China

Março 31, 2010

O jardim zoológico da cidade de Shenyang, no nordeste da China, onde 13 tigres siberianos, espécie sob grave risco de extinção, morreram de fome nos últimos meses foi acusado na passada semana pela imprensa chinesa de usar os ossos dos animais para fabricar licores medicinais. Segundo o jornal “Beijing News”, a prática de fazer licor de ossos de tigre, muito apreciado há séculos pela medicina tradicional chinesa, mas atualmente ilegal, “começou no zoo em 2005 e o produto era entregue a departamentos estatais de polícia”.”Eu mesmo bebi licor de osso de tigre”, assegurou a fonte anônima do zoo que revelou a prática ao jornal. O destilado de osso de tigre, ou “hu gu jiu”, pode chegar a custar cerca de 3000 euros por garrafa no mercado negro. As leis para evitar o tráfico de restos mortais de animais em extinção, vigentes desde 1993, exigem que os ossos e a pele dos tigres falecidos sejam guardados em salas frigoríficas e lacrados, mas aparentemente a lei não prevê quem deve ser responsável por estes caros procedimentos. Resultado, os tratadores do zoo de Shenyang onde morreram cerca de 50 tigres desde o ano 2000 (a informação não explica as circunstâncias das mortes) ficaram responsáveis pelos restos e supostamente tiraram proveito econômico deles. Outro jornal, o “Nanfang Daily” noticiou na semana passada que os tratadores não alimentaram os animais nos últimos meses como chantagem para tentar pressionar o governo local para que pagasse as dívidas do zoológico, que não eram regularizadas há 18 meses. Onze dos tigres morreram diretamente de fome, outros dois foram mortos após atacar seus tratadores, possivelmente por falta de comida, e outros três estão em situação grave. Equipas de veterinários trabalham contra o relógio para salvar suas vidas. Cerca de 20 outros animais, entre leões, camelos, macacos, avestruzes e várias outras espécies, também morreram no zoo nos últimos três meses de inverno, época na qual a falta de visitantes diminui a receita proveniente do custo dos bilhetes.

Vinho de osso de tigre – Reportagem @ SIC


“Grau de Destruição” na sessão de cinema na Febre Amarela

Março 31, 2010

Grau de Destruição, título original Fahrenheit 451, é a adaptação cinematográfica do romance homônimo de Ray Bradbury, dirigida por François Truffaut em 1966. A banda sonora é de Bernard Herrmann (compositor favorito de Alfred Hitchcock), e a direção de fotografia de Nicholas Roeg.

Sinopse:Num futuro hipotético, os livros e toda forma de escrita são proibidos por um regime totalitário, sob o argumento de que fazem as pessoas infelizes e improdutivas. Se alguém é apanhado a ler é preso e “reeducado”. Se uma casa tem muitos livros e um vizinho denuncia, os “bombeiros” são chamados para incendiá-la. Montag é um desses bombeiros. Chamado para agir numa casa “condenada”, ele começa a furtar livros para ler. O seu comportamento começa a mudar, até que a sua mulher, Linda, desconfia e denuncia. Enquanto isso, ele mantém amizade com Clarisse, uma mulher que conhecera no metro. Ela incentiva-o e, quando ele começa a ser perseguido (e morto, segundo a versão televisiva oficial), ela leva-o à terra dos homens-livro, uma comunidade formada por pessoas que memorizavam seus livros e também eram perseguidas. Essas pessoas decoravam os livros, para publicá-los quando não fossem mais proibidos, e destruíam-nos.

Glória do Ribatejo | Hotel Jackson | Quarta-Feira 31.03.2010 |          |22  Horas |

Blog: Associação Febre Amarela


Cartoon…

Março 30, 2010

Cartoon by Henrique Monteiro (in SAPO Desporto)


CERN provoca choque de partículas que atinge a maior energia de sempre

Março 30, 2010

A maior máquina do Mundo, o LHC (Grande Colisionador de Hadrões), provocou hoje em Genebra o mais forte choque de sempre entre feixes de partículas para fazer novas descobertas sobre a matéria e a origem do Universo. Uma colisão de feixes de protões a uma energia 3,5 vezes maior do que o recorde alcançado antes foi hoje atingida pelo LHC (Grande Colisionador de Hadrões), a maior máquina do Mundo, tendo provocado uma explosão de aplausos entre as dezenas de cientistas presentes na sala de controlo de todo o processo. A experiência feita em Genebra, Suiça, pela Organização Europeia de Pesquisa Nuclear (CERN), a que Portugal pertence, vai permitir novas descobertas sobre a matéria, mas a grande ambição dos dez mil cientistas envolvidos no maior acelerador de partículas de sempre é provar a existência do Bosão de Higgs, a partícula que pode explicar tudo o que constitui o Universo. Por isso, muitos destes cientistas falam mesmo no início de “uma nova era para a Ciência”. Mas os primeiros resultados concretos do que se passou hoje no túnel circular de 27 km de perímetro, onde dois feixes de protões mais finos que um cabelo humano foram movimentados em direcções opostas quase à velocidade da luz até entrarem em choque, só poderão ser conhecidos dentro de meses ou mesmo anos de paciente análise dos dados recolhidos na experiência pelos gigantescos detectores do LHC. “As maiores descobertas só terão lugar quando formos capazes de registar milhares de milhões de eventos ao nível sub-atómico e de identificar entre eles os poucos que poderão representar um novo estado da matéria ou novas partículas”, explicou à BBC News Guido Tonelli, porta-voz da equipa do detector CMS. Este é precisamente o detector do LHC que vai procurar o Bosão de Higgs. Portugal tem 22 físicos envolvidos no CMS, que pertencem ao Laboratório de Instrumentação e Física de Partículas (LIP) e ao Instituto Superior Técnico. A maior participação portuguesa foi a construção do Sistema de Aquisição de Dados do detector ECAL (Calorímetro Electromagnético), que tem um papel fundamental em todo os estudos de física relacionados com a detecção de electrões e fotões, e em especial na possível descoberta do Bosão de Higgs. Mesmo assim, se pela primeira vez for detectado o Bosão de Higgs em resultado destas colisões, ficaremos a conhecer apenas 4% do Universo, isto é, o Universo visível. Falta descobrir os outros 96% – aquilo a que os cientistas chamam de matéria e a energia escuras, porque sabem provar a sua existência mas não conseguem detectá-las com a tecnologia e os instrumentos disponíveis. Quando o LHC arrancou, em 10 de Setembro de 2008, o director-geral do CERN, Rolf-Dieter Heuer, afirmou em entrevista ao Expresso: “Espero que este acelerador de partículas dê as primeiras pistas sobre aquilo a que eu chamo Universo escuro, em particular a matéria escura, que representa 23% do total. E se o conseguir será, obviamente, um grande avanço para a Ciência”. Hoje, Rolf Heuer retomou este prognóstico, ao declarar aos media que “o LHC tem uma oportunidade real, nos próximos dois anos, de desvendar a composição de cerca de ¼ do Universo”. O gigantesco acelerador de partículas, que custou mais de 4000 milhões de euros, avariou-se nove dias depois do seu arranque, tendo ficado parado até Maio de 2009. Na altura o Expresso apurou que a avaria se deveu à falta de tempo para testar todos os sectores do LHC, já que havia pressões políticas para acelerar a sua inauguração, devido aos sucessivos atrasos no projecto que ameaçavam a credibilidade do CERN e da própria ciência europeia. Em 20 de Novembro de 2009 as experiências foram retomadas e, depois de uma pequena paragem técnica, os feixes de partículas voltaram a circular no LHC a 28 de Fevereiro de 2010. Agora os planos do CERN apontam para que o acelerador funcione durante os próximos 18 a 24 meses, mas com uma nova paragem técnica para manutenção no final deste ano.

in Expresso

CERN consegue colisão de partículas – Reportagem @ RTP