Intra_Rail Live Trip

Julho 28, 2009

A Gare do Oriente, em Lisboa, é o ponto de partida para uma viagem de comboio pelo país que começa terça-feira para 50 jovens, entre os 16 e os 26 anos. A Intra_Rail Live Trip 50 realiza-se entre 28 de Julho e 2 de Agosto e é promovida pelo Cartão Jovem, CP – Comboios de Portugal e Pousadas de Juventude. Seleccionados através de um passatempo on-line, os jovens viajantes vão poder conhecer as Grutas de Mira de Aire, fazer actividades de praia em Espinho, praticar desporto-aventura e ir às Aldeias de Xisto na Serra da Lousã. Durante a próxima semana, actividades de grupo e visitas culturais fazem parte do programa, assim como dormidas nas Pousadas da Juventude. Tudo por apenas 50 euros, que revertem integralmente a favor da Casa do Gil. Durante o evento, os participantes são acompanhados por uma equipa de vídeo, que diariamente actualizará o blogue http://live-trip50.blogspot.com com os melhores vídeos, os quais serão igualmente emitidos no programa “Curto Circuito”, da SIC Radical. O arranque da iniciativa é marcado pela presença do secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Laurentino Dias, que estará também às 9:15 de terça-feira na Gare do Oriente. O Intra_Rail é uma viagem pré-paga que inclui viagem de comboio e alojamento nas Pousadas de Juventude e que pode ser feita em Portugal Continental.

in Destak/Lusa

Intra_Rail Live Trip (partida) Reportagem RTP


##### Imagens…

Julho 28, 2009


InterRail de novo na moda

Julho 28, 2009

Este Verão, haverá milhares de europeus a dormir em estações de comboio e albergues de baixo custo, com nada mais que um bilhete, um guia e uma mochila às costas. O InterRail está de volta e em força, depois de a crise ter obrigado muitos turistas a repensar os empréstimos para ir a banhos nas Maldivas. Só em 2008, o número de passes vendidos aumentou 37%, segundo dados do Eurorail Group. E este ano a popularidade das viagens de comboio começou a aumentar antes mesmo do Verão, com as vendas a crescerem 5% só entre Janeiro e Abril – uma época tradicionalmente fraca devido às baixas temperaturas da Europa. E enquanto não param de ser noticiadas insolvências nas companhias aéreas, que foram apanhadas na curva da instabilidade dos preços do jet fuel, o InterRail está a aproveitar para promover um produto que caiu em desuso no início da década. Ficar na Europa começa a ser visto como uma alternativa mais barata que fazer viagens transatlânticas nas férias, neste clima económico difícil”, explica a directora de comunicação do Eurorail, Rachel Morton-Young. “O InterRail está a lucrar com as pessoas que querem passar as férias mais perto de casa”, continua a responsável, além de beneficiar do “aumento da notoriedade da marca”, conseguida através de campanhas de marketing e refrescamento do produto. Em que consiste então o apelo do InterRail? A maioria dos viajantes tem como prioridade o baixo preço da viagem e do alojamento associado, mas também o sentimento de liberdade e aventura. “A beleza do Passe InterRail é o facto de cada um poder desenhar o seu próprio itinerário e viagem, para que se adeqúe às suas necessidades e interesses, liberdade que exerce um grande apelo sobre os passageiros”, assegura Rachel Morton-Young. A responsável lembra que devido à sua história, o InterRail está muito associado “aos jovens de mochila a viajar em segunda classe”. Por isso, não é de espantar que o “interrailer” típico tenha menos de 30 anos e seja estudante ou esteja há pouco tempo no mercado de trabalho. Mas o i também descobriu apaixonados pelo InterRail que têm perfis fora do comum. É o caso de Patrícia Esteves, advogada de 31 anos, que viajou um mês de comboio na Europa sem destino concreto. “É a forma mais barata de conhecer um grande número de países num curto espaço de tempo”, sentencia, enquanto bebe um Cappuccino do Starbucks, de que aprendeu a gostar no seu périplo pelo estrangeiro. Saiu de Lisboa sem nada marcado, apanhou o Sud Express em Paris e gastou cerca de mil euros num mês de férias. Passou por Viena, Budapeste, Itália e Croácia, e desceu até às ilhas gregas – aventura que não aconselha porque “os barcos entre as ilhas são caros e demoram uma eternidade”. Apesar de adorar estâncias turísticas na América Latina, garante que vai voltar a fazer um InterRail. “Para conhecer a Europa do Norte e de Leste como deve ser”, graceja. Foi exactamente isso que levou André Rodrigues, recém-licenciado em Comunicação, a aventurar-se no ano passado com um amigo pelo Leste da Europa. Além de ter percebido que se consegue “viver com muito pouco”, o jovem passou por episódios caricatos: quando um pirata lhe invadiu a conta bancária e levantou 150 euros na Itália, o seu banco cancelou imediatamente a conta e deixou-o uma semana sem dinheiro. Depois, no último dia, distraiu-se e perdeu o avião de regresso de Barcelona para Lisboa sem ter um euro na carteira. Problemas à parte, André foi um dos poucos que saiu de Portugal com toda a viagem planeada e estadias reservadas nos albergues, que cobram preços muito baixos (entre 15 e 20 euros). Não foi essa a opção de Marta Montalvão, que em Agosto de 2008 andou 22 dias pela Europa sem qualquer marcação. “É verdade que é mais barato, mas fui mais por ser imprevisível”, conta, recordando a viagem que começou em Paris e acabou em Amesterdão. Uma incerteza que em alguns momentos se revelou pouco acertada, já que foi obrigada a dormir numa estação de Berlim, onde acordou com os pontapés dos guardas alemães. Foi a forma de lhe demonstrarem que não podia dormir ali. “Houve vezes em que me assustei”, confessa, lembrando que em muitos albergues os quartos eram partilhados e nem ela nem o amigo com quem foi tinham ideia de quem iria passar a noite com eles. Feitas as contas, a experiência foi positiva e a jovem pretende repeti-la no próximo ano, agora que já sabe como fazer as coisas. É que, apesar de o InterRail ter dado toda a ajuda possível e imaginária, Marta acabou por ter problemas na Alemanha quando um fiscal percebeu que andava a apontar as viagens com um lápis. Não se pode e a verdade é que na maioria dos países não se louva o “desenrascanço” como em Portugal. Mais tranquila foi a viagem de André Barreto, consultor desempregado que regressou da sua aventura há pouco mais de um mês. “Já viajei por mais de 30 países, estive na América Latina durante dois meses e já fiz a experiência da estância balnear”, conta, divertido, explicando que o InterRail estava na sua lista de coisas a fazer. Tal como a maioria, não fez marcações prévias mas recomenda, “para sítios como Veneza onde o alojamento é limitado”. A verdade é que, antes de partir, qualquer candidato a viajante de InterRail deve informar-se sobre a disponibilidade média das cidades onde pretende parar. Aproveitar as noites de viagem para dormir no comboio também é boa ideia, embora alguns percursos sejam mais perigosos, como Zagreb-Veneza. É tudo uma questão de bom-senso.

in i

InterRail – Reportagem TVI


Voluntários de férias no Parque Natural do Alvão

Julho 28, 2009

 

De 24 de Junho a 4 de Julho de 2009, o DGAC N/ Parque Natural do Alvão, em parceria com o “British Trust for Conservation Volunteers”, promoveu mais um campo de voluntariado “Conservation Holidays”. Com 14 anos de existência, esta parceria proporcionou já o envolvimento de mais de 160 voluntários estrangeiros e cerca de 16.000 horas de trabalho, possibilitando, igualmente, um enriquecimento técnico e científico, quer dos participantes quer dos técnicos da Área Protegida, assim como a divulgação dos valores do Parque e da região onde se insere. Este ano, o campo contou com voluntários provenientes, maioritariamente, do Reino Unido, mas também de Espanha e da Alemanha, com idades compreendidas entre os 28 e os 67 anos e com profissões tão diversas como arquitectura paisagística, investigação científica, publicitários, engenharia agronómica, de transportes e civil. Durante 11 dias, os participantes dedicaram-se a trabalhos na área da conservação da natureza, tais como, controlo de invasoras, protecção da borboleta Maculinea alcon e de répteis e anfíbios, sem esquecer a preservação do habitat de plantas insectívoras (carnívoras). Para além disso, realizaram actividades de manutenção de parques de merendas e a recuperação de uma saibreira. No dia dedicado à região do Douro Património Mundial tomaram contacto com a sua beleza, através de visitas a museus e quintas, terminando o dia na romaria de S. Pedro, em Vila Real, onde participaram no tradicional Jogo do Panelo. Saliente-se, pela primeira vez, o envolvimento do Núcleo de Estudo e Protecção do Ambiente de Vila Real com a participação de alguns dos seus membros nestas actividades de voluntariado. Recorde-se que, em 2009, o “British Trust For Conservation Volunteers” comemora 50 anos de actividade e desenvolve centenas de campos no Reino Unido e no resto do Mundo, envolvendo, anualmente, nas suas iniciativas mais de 300.000 voluntários.

Voluntários de férias no Parque Natural do Alvão – Reportagem SIC


Rita Mendes – Notas da Capa da Revista Playboy

Julho 28, 2009

Rita Mendes – Notas da Capa da Revista Playboy – Reportagem SIC


11º Encontro de Carochas – Póvoa do Varzim

Julho 28, 2009

No passado fim-de-semana, dias 25 e 26 de Julho, cem viaturas deste tão apreciado modelo da Volkswagen estiveram em exposição nas ruas da cidade. Foi o 11º Encontro Internacional de Carochas, sempre realizado na Póvoa de Varzim. A intenção da organização é fomentar a convivência de todos os simpatizantes deste invulgar automóvel.

11º Encontro de Carochas – Póvoa do Varzim – Reportagem SIC


Cartoon…

Julho 28, 2009

O regresso do circo eleitoral
Cartoon do Ricardo (in Expresso)